RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Capacidade de mentalização e relações interpessoais de puérperas que viveram traumas na infância

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Santos, Maira Noroefé dos;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/7595986370812707;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Donelli, Tagma Marina Schneider;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/1935730154101158;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Saúde;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Capacidade de mentalização e relações interpessoais de puérperas que viveram traumas na infância;
metadataTrad.dc.description.resumo O presente estudo se propõe a compreender como é a capacidade de mentalização de mulheres que sofreram traumas na infância, quando vivem a maternidade, uma vez que é conhecido o impacto das relações iniciais no fluxo do desenvolvimento emocional de uma criança. Pensando nas repercussões destas experiências na vida do indivíduo, buscou-se avaliar a capacidade de mentalização de mulheres que viveram traumas na infância e que são mães de crianças de até um ano de idade, descrevendo suas histórias de vida e compreendendo a maneira como estabelecem os relacionamentos interpessoais e com o bebê. Assim, foram construídos dois artigos empíricos, descritivos, de abordagem qualitativa e como procedimento adotou-se Estudo de Casos Múltiplos. Participaram 3 mulheres, primíparas, com idades entre 28 e 35 anos e com filhos de até 12 meses de idade, que tivessem, necessariamente, passado por alguma situação traumática em suas infâncias. Os dados foram coletados através dos seguintes instrumentos: Ficha de dados sociodemográficos; Questionário sobre Traumas na Infância (QUESI); Método de Rorschach; Entrevista sobre História de Vida e Relações Atuais; Entrevista sobre a Maternidade e o Relacionamento mãe-criança. Os casos foram construídos individualmente e depois foi realizada a Síntese dos Casos Cruzados, procurando compreender as semelhanças e divergências entre os casos. Os principais resultados apontam que, apesar dos traumas vividos, as mães demonstram capacidade de mentalização adequada, mas apontando para maior prejuízo na avaliação de seus valores e atitudes gerais. Entretanto mostram deficiências significativas para as relações interpessoais, o que parece repercutir também na relação com o bebê.;
metadataTrad.dc.description.abstract The present study aims to understand how the mentalizing of women who have experienced traumas in childhood when they are in maternity, since the impact of initial relationships on the flow of a child's emotional development is known. Considering the repercussions of these experiences on the individual's life, the aim was to evaluate the capacity of mentalization of women who have experienced traumas in childhood and who are mothers of children up to one year of age, describing their life histories and understanding how they establish the interpersonal relationships and with the baby. Thus, two empirical articles, descriptive, with a qualitative approach were constructed and as a procedure a Multiple Case Study was adopted. Three primiparous women, aged between 28 and 35 years old and with children up to 12 months of age, who had necessarily had a traumatic situation in their infancy, participated. Data were collected through the following instruments: Sociodemographic data sheet; Questionnaire on Trauma in Childhood (QUESI); Rorschach Method; Interview on Life History and Current Relationships; Interview on Motherhood and the mother-child relationship. The cases were individually constructed and then the Synthesis of the Crossed Cases was carried out, trying to understand the similarities and divergences between the cases. The main results indicate that, despite the traumas experienced, the mothers demonstrate adequate capacity for mentalization, but pointing to greater impairment in the evaluation of their values and general attitudes. However, they show significant deficiencies in interpersonal relationships, which also seem to have repercussions on the relationship with the baby.;
metadataTrad.dc.subject Trauma; Capacidade de mentalização; Relações interpessoais; Maternidade; Mentalizing; Interpersonal relationships; Maternity;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Humanas::Psicologia;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2018-08-31;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Nenhuma;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/10344;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Psicologia;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics