RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Experiências de busca da liberdade: alforria e comunidade africana em Rio Grande, séc.XIX

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Scherer, Jovani de Souza;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/1361173501494168;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Moreira, Paulo Roberto Staudt;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/7416066730700319;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio do Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials UNISINOS;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Humanidades;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Experiências de busca da liberdade: alforria e comunidade africana em Rio Grande, séc.XIX;
metadataTrad.dc.description.resumo Este trabalho investiga as experiências de busca de liberdade empreendidas por escravos e libertos no município de Rio Grande, no extremo sul do Império brasileiro, durante o século XIX. Uma atenção especial é dada as alforrias neste intento, demonstrando-se os principais grupos que alcançaram manumissões, nomeadamente mulheres e africanos, com destaque para as variações ao longo do oitocentos na transição do cativeiro à liberdade. A população alforriada é sempre vista em comparação àquela registrada nas listas de cativos dos inventários post-mortem. Assim se procede para verificar a capacidade de mulheres, mas principalmente de africanos, em libertarem-se do cativeiro com referência as suas proporções na população escrava. Se viu que as cativas sempre receberam uma maior número de alforrias que os cativos, contudo, durante a Guerra dos Farrapos elas chegaram aos maiores patamares, aproveitando o momento de crise econômica que se abateu sobre a província. Os africanos recebem uma maior atenção. Ao contrário d;
metadataTrad.dc.description.abstract This work investigates the experiences of searching for freedom undertaken by freed and slaves in the county of Rio Grande, in the extreme south of the Brazilian Empire during the nineteenth century. Particular attention is given the manumissions this intent, showing up the main groups that reached manumissões, particularly women and Africans, with an emphasis on changes over eight hundred in the transition from captivity to freedom. The population manumitted is always compared to that registered on the lists of captives that inventories post-mortem. This way, it is possible to verify the capacity of women, but mainly from Africa, freeing up captivity with reference their proportions in the population slave. The women captive always received a larger number of manumissions that the men, however, during the War of Farrapos they reached the highest levels, taking the time to the economic crisis which hit on the province. The African receive greater attention. Unlike observed for other regions of Brazil, in Rio;
metadataTrad.dc.subject africanos ocidentais; alforria; Rio Grande; Rio Grande do Sul; comunidade africana; african community; west african; manumission;
metadataTrad.dc.subject.cnpq Ciências Humanas;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2008-03-24;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/1857;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em História;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics