RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Tomada de decisão : a racionalidade e a experiencialidade no design e projeto de produtos

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Jardim Junior, Ery Clovis Petry;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/7715228546312386;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Tonetto, Leandro Milletto;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/6936566634445566;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola da Indústria Criativa;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Tomada de decisão : a racionalidade e a experiencialidade no design e projeto de produtos;
metadataTrad.dc.description.resumo Em diferentes subculturas de projeto, arquitetos, engenheiros e designers transitam entre dois caminhos para decidir quais serão os próximos passos a serem dados no design e projeto de produtos: o caminho do raciocínio e o caminho da intuição. Estes dois caminhos são fundamentados na teoria de Epstein (1999, 2003), denominada de teoria do processamento duplo de informações (CEST - Cognitive-Experiential Self-Theory of Personality). O caminho do raciocínio ou da racionalidade é o caminho das decisões baseadas na lógica das metodologias, métodos, ferramentas e processos que o designer utiliza para avançar na projetação na medida em que as informações sobre os problemas de design vão se estruturando. O caminho da intuição ou da experiencialidade é o das decisões baseadas nas experiências ou nas vivências pessoais que o designer acumulou em processos heurísticos, nos quais as metodologias, métodos, ferramentas e processos utilizados para dar um certo próximo passo na projetação não são claras o suficiente, pois não se dispõe de todas as informações sobre o problema de design e necessita-se ‘preencher as lacunas’ para avançar na projetação. Estes dois caminhos trilhados pelos arquitetos, engenheiros e designers no design e projeto de produtos serão analisados nesta dissertação, tendo como base os estudos sobre racionalidade limitada (Simon, 1969, 1996) e intuição limitada (Kahneman 2003), contando com o Inventário Racional- Experiencial (Rational-Experiential - REI, Pacini e Epstein, 1999, 2003) como instrumento de pesquisa. O estudo foi realizado na modalidade online com 156 participantes, revelando que na análise sobre formação os Engenheiros tendem a pensar de forma mais racional e tem mais confiança ao agirem assim, e, arquitetos e designers tendem a pensar de forma mais experiencial com mais capacidade de pensar com sentimentos e intuições. Na análise sobre tempo de experiência em design e projeto de produtos os designers tendem a pensar de forma mais racional e tem mais capacidade e confiança para agirem assim. Na análise sobre nível de formação os designers tendem a pensar tanto de forma racional, como experiencial e tem mais confiança e capacidade para agirem assim.;
metadataTrad.dc.description.abstract In different project subcultures, architects, engineers, and designers move between two paths to decide what are the next steps to be taken in product design and design: the path of reasoning and the path of intuition. These two paths are grounded in Epstein's theory (1999, 2003), called the CEST (Cognitive-Experiential Self-Theory of Personality). The path of reasoning or rationality is the path of decisions based on the logic of the methodologies, methods, tools and processes that the designer uses to advance the design as the information about design problems is structured. The path of intuition or experientiality is that of the decisions based on the experiences or personal experiences that the designer accumulated in heuristic processes, in which the methodologies, methods, tools and processes used to take a certain next step in the design are not clear enough, because all the information about the design problem is not available and it is necessary to 'fill in the gaps' to advance the design. These two paths, traced by architects, engineers and designers for the design and design of products, will be analyzed in this dissertation, based on studies of limited rationality (Simon, 1969, 1996) and limited intuition (Kahneman 2003) Rational- Experiential (Rational-Experiential - REI, Pacini and Epstein, 1999, 2003) as a research tool. The study was conducted online with 156 participants, revealing that in training analysis engineers tend to think more rationally and have more confidence in doing so, and, architects and designers tend to think in a more experiential way with more ability to think with feelings and intuition. In the analysis of experience time in product design and design the designers tend to think more rationally and have more ability and confidence to do so. In the analysis of the level of training, designers tend to think in a rational, experiential way and have more confidence and ability to act in this way.;
metadataTrad.dc.subject Racionalidade limitada; Experiencialidade; Racionalidade; Design de produto; Projeto de produto; Limited rationality; Experientiality; Rationality; Product design; Product design;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Sociais Aplicadas::Desenho Industrial;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2018-02-28;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Nenhuma;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/7626;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Design;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics