RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

A análise de Alva Noë de um experimento neurocientífico: reflexão acerca da substituição sensorial visual

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Vollino, Maurício da Rosa;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/2213626247228791;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Stein, Sofia Inês Albornoz;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/2045729600668270;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Humanidades;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title A análise de Alva Noë de um experimento neurocientífico: reflexão acerca da substituição sensorial visual;
metadataTrad.dc.description.resumo O intuito desta dissertação é apresentar a análise do filósofo Alva Noë acerca do aparelho de substituição tátil visual, o TVSS, criado pelo neurocientista Paul Bach-y-Rita, de modo a responder à seguinte questão: “o cego realmente experiencia a visão ao utilizar o TVSS?”. Para tanto, é necessário entender as teorias as quais baseiam o ponto de vista filosófico de Noë acerca da percepção visual, bem como a importância do TVSS no desenvolvimento de respostas para exercícios mentais filosóficos, tal como o problema de Molyneux. O aparelho de TVSS é uma prótese visual constituída por uma câmera, um receptor de sinais o qual converte os sinais visuais para táteis e um eletrodo conectado à pele do usuário. Nos modelos atuais, o eletrodo, adaptado à língua do usuário, recebe sinais elétricos e estes são interpretados pelo cérebro enquanto sinais táteis pelo córtex somatório sensorial. Após um tempo de adaptação, os sinais são percebidos como visuais. Tal experimento inspirou filósofos e psicólogos a retomarem a questão de Molyneux à Locke, a saber, se um cego congênito, o qual viveu sua vida aprendendo a distinguir objetos apenas com o tato, caso tivesse sua visão restaurada, poderia reconhecer entre a esfera e o cubo qual é qual e, também, nomeá-los corretamente? Enquanto filósofos empiristas como Locke, Berkeley e Molyneux responderam negativamente à questão, alegando que o cego precisa adquirir experiência com o novo canal perceptual, filósofos racionalistas como Leibniz, Synge e Lee responderam positivamente, pois, de acordo com o racionalismo, o cego seria capaz de reconhecer e nomear corretamente os objetos pois já possuiria os conceitos pré-concebidos na mente. Psicólogos como Morgan, Warren e Strelow utilizaram aparelhos de substituição sensorial para responder à Molyneux e suas respostas corroboram Locke por demonstrar que os cegos precisam de um tempo de adaptação aos aparelhos. Alva Noë, por sua vez, atribui uma resposta positiva ao TVSS devido às contingências sensório motoras do usuário. Ou seja, de acordo com sua teoria perceptual, intitulada de abordagem da Enação, para perceber é necessário agir. Deste modo, é movimentando os olhos, aproximando-se de fontes de sons ou de odores que somos capazes de perceber. De acordo com o filósofo, perceber é agir – é utilizando nossas habilidades motoras que somos capazes de perceber. Tal teoria é inspirada na teoria perceptual de nome similar de Varela & Thompson e que, por sua vez, tem bases na fenomenologia de Merleau-Ponty a qual compreende o ser humano como um ser-no-mundo munido de uma percepção enquanto corporificada e envolvido no contexto em que está inserido. A partir destas características, a teoria de Noë, portanto, atribui uma resposta positiva à questão proposta, uma vez que o TVSS possibilita, de acordo com o filósofo, uma espécie de visão devido às similaridades do funcionamento perceptual tátil com o visual humano. A abordagem da Enação de Alva Noë, portanto, aceita o funcionamento do TVSS enquanto visão, pois tal teoria permite uma aproximação entre a percepção tátil proporcionada pelo aparelho e a visão pois ambas as percepções utilizam de conhecimentos sensórios motores.;
metadataTrad.dc.description.abstract This dissertation presents Alva Noë’s philosophic analysis about the Paul Bach-y-Rita’s Tactile Visual Substitution System (TVSS), in order to answer the following question: Can a blind person really experience sight when using TVSS? In order to do so, we need to understand the theories that support Noë’s philosophical point of view on visual perception and the importance of TVSS to develop responses on philosophical mental exercises, such as the Molyneux’s question. The TVSS apparatus is a visual prosthetic constituted by a camera, a receiver that converts visual signals to tactile, and an electrode connected to the user’s skin. In current models, the electrode is adapted to the user’s tongue and receives electric signals interpreted by the brain as tactile signals by the sensorimotor cortex. After a period of adaptation, the user perceives the signals as visual. Such an experiment inspired philosophers and psychologists to revisit the Molyneux’s question put to Locke, viz, whether a blind person who perceives objects such as spheres and cubes by touching them would, if their sight were restored, be able to perceive those objects without touching them. While empiricist philosophers such as Locke, Berkeley, and Molyneux, responded negatively to the question, claiming that the blind man needs to have more experience with the new perceptual channel, rationalist philosophers such as Leibniz, Synge, and Lee responded positively since, according to rationalism, a blind would be able to recognize and correctly name objects which they already had the concepts preconceived in their mind. Psychologists such as Morgan, Warren, Strelow used sensory-substitution devices to answer to Molyneux, and their responses agreed with Locke demonstrating that the blind need time to adapt to these devices. Alva Noë, in turn, attributes a positive response to the TVSS due to the sensorimotor contingencies of the user. According to his theory of perception titled the Enact Approach, to perceive it is necessary to act. In this way, it is moving the eyes, approaching sources of sounds or odors that we are able to cognize. The philosopher defends that to sense is to act – it is by using our sensorimotor skills that we are able to perceive. Such a theory is inspired by the Varela et al.’s perceptual theory based in Merleau-Ponty’s phenomenology, which comprises the human being as a being-in-the-world with a embodied perception and involved in the context in which it is inserted. From these characteristics, Noë’s theory therefore assigns a positive answer to the proposed question, since TVSS makes it possible, according to the philosopher, to experience a kind of vision due to the similarities of the tactile perceptual functioning as the human visual is. The Alva Noë’s enact approach, therefore, accepts the functioning of the TVSS as a visual sense, since his theory allows an approximation of the tactile perception provided by the apparatus to the natural vision since both perceptions use sensorimotor knowledge.;
metadataTrad.dc.subject Abordagem da Enação; Alva Noë; Molyneux; Substituição sensorial; TVSS; Enact approach; Alva Noë; Molyneux; Sensory substitution; TVSS;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Humanas::Filosofia;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2019-02-27;
metadataTrad.dc.description.sponsorship CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/7963;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Filosofia;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics