RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Implementação de um protocolo de banho no leito para pacientes adultos criticamente enfermos em unidades de terapia intensiva

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Stadler, Glênio Portilho;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/5299400230718503;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Viegas, Karin;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/8704792892767752;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Saúde;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Implementação de um protocolo de banho no leito para pacientes adultos criticamente enfermos em unidades de terapia intensiva;
metadataTrad.dc.description.resumo O banho de leito é o momento do cuidado em que mais aproxima o cuidador do ser cuidado. Pode-se assim considerar como um rito entre ambos, onde se defronta várias sensações, tais como medos e angústias. Implementar e validar um protocolo de banho em pacientes adultos criticamente enfermos internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Adulta na região metropolitana de POA–RS. Pesquisa de implementação: A implementação utilizou a ferramenta do PDSA (Planejar, Fazer (Do), Estudar (Study) e Agir (Act), possibilitando que o processo fosse reavaliado em cada etapa. A implementação foi constituída das fases: Planejamento (P): visita técnica ao local, que auxiliou no entendimento das rotinas e procedimentos da unidade. Composição do grupo de trabalho (GT): equipe multiprofissional constituída por dois enfermeiros, um médico, um fisioterapeuta e dois técnicos de enfermagem. Foram realizadas três reuniões, no máximo de duas horas de duração, onde foi apresentado a proposta e o processo de implantação. Fase Fazer (Do): Nesta etapa foi realizado a análise e avaliação do protocolo, antes de sua aplicação, por meio do instrumento AGREE II que é composto por 25 itens, sendo dois itens de avaliação global, e 23 itens organizados em seis domínios de qualidade (Escope e finalidade; Envolvimento das partes interessadas; Rigor do desenvolvimento; Clareza da apresentação; Aplicabilidade e Independência editorial). Cada item foi avaliado por uma escala de Likert com pontuações de um (discordo totalmente) a sete (concordo totalmente). O cálculo para cada domínio foi realizado pela soma de todas as pontuações dos itens individuais e escalonado como porcentagem da pontuação máxima possível no domínio. Fase Estudar (S): As inconformidades encontradas no protocolo em relação à realidade local foram discutidas, reavaliadas e corrigidas pelo GT. Todas as correções e adaptações foram baseadas na melhor evidência científica encontrada. A adaptação do protocolo seguiu o instrumento ADAPTE que é constituído por três fases: Configuração, Adaptação e Finalização. Todas as fases do instrumento foram seguidas; entretanto, os itens de cada etapa, foram avaliados e, se necessário, subtraídos, não inviabilizando a adaptação do protocolo de banho a ser implantado. Após a elaboração do protocolo final e validação, o mesmo iniciou o processo de implantação no UTI Adulto do Hospital. Fase Agir (A): A implantação foi planejada com a chefia de enfermagem e os enfermeiros da unidade, iniciando com um teste piloto no turno da tarde, onde toda a equipe foi capacitada. Após um período de adaptação, o mesmo foi implantado no turno da manhã. Considerações Finais: Os pacientes internados no UTI se beneficiaram da implementação de um protocolo de banho adaptado e validado. É fundamental que o cuidado de enfermagem na terapia intensiva seja baseado em evidências, visto que as melhores práticas devam permear o processo de trabalho do enfermeiro. Assim, o banho no leito em pacientes adultos em cuidados críticos deve ser objeto frequentemente de discussão, pois compreende parte central do cuidado de enfermagem e, como tal, deve ser praticado de forma segura, buscando-se minimizar riscos para os pacientes.;
metadataTrad.dc.description.abstract The bed bathing practice is the moment of care that brings the caregiver closer to the individual being cared for. Hence, it may be considered as a ritualistic practice between the two, where various sensations are experienced, such as fear and anguish. To implement and validate a bath protocol in critically ill adult patients hospitalized in an Adult Intensive Care Unit (ICU) in the metropolitan area of POA, RS, Brazil. This was an implementation study. It is part of the project "Research and intervention in nursing: Systematization of Nursing Assistance to strengthen the Healthcare Network of São Leopoldo/RS". The implementation process was carried out using the PDSA tool (Plan, Do, Study and Act), which makes it possible to reevaluate the process at each phase. The implementation consisted of the following phases: Planning phase (P): technical visit to the unit, which helped with understanding the routines and procedures of the workplace. Composition of the work team (WT): multiprofessional team consisting of two nurses, one physician, one physiotherapist and two nursing technicians. Three meetings, lasting no more than two hours, were set up to present the proposal and the implementation process. Do phase: The bath protocol was analyzed and evaluated prior to its application by the AGREE II tool, which is composed of 25 items, two of which concerning overall assessment and 23 items organized into six quality domains, namely: Scope and Purpose; Involvement of interested parties; Rigor of development; Clarity of presentation; Applicability and editorial independence. Each item was assessed by the Likert scale with scores ranging from one (totally disagree) to seven (totally agree). The calculation for each domain was performed by summing all scores of individual items, and it was scaled as a percentage of the maximum possible score in the domain. Study Phase (S): The inconsistencies found in the protocol concerning the local reality were discussed, re-evaluated and corrected by the WT. All corrections and adaptations were based on the best scientific evidence available. Adaptation of the protocol followed the ADAPTE instrument, which consists of three phases: Configuration, Adaptation and Completion. All ADAPTE phases were followed; however, the items of each component were evaluated and, if necessary, removed, so that not to make it impracticable the adaptation of the bath protocol. After the elaboration and validation of the final protocol, the implementation process took place in the adult ICU of the hospital. Act Phase (A): The implementation was planned with the head of nursing and the nurses of the unit, starting with a pilot test in the afternoon shift, where all the team was trained. After an adaptation period, the protocol was implemented in the morning shift. Patients admitted to the ICU benefited from the implementation of an adapted and validated bath protocol. It is essential that nursing assistance in intensive care be based on scientific evidence, so that the best practices are utilized in the work process. Thus, bed bathing in critically ill adult patients should be a frequent topic of discussion as it comprises the central part of nursing care and, as such, should be practiced safely to minimize risks to patients.;
metadataTrad.dc.subject Banho de leito; Paciente crítico; Unidade de Terapia Intensiva (UTI); Protocolo; Higiene; Bed bath; Critically ill patient; Intensive Care Unit (ICU); Protocol; Hygiene;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências da Saúde::Enfermagem;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2019-01-10;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Nenhuma;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/8144;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Enfermagem;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics