RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Consciência religiosa e secularismo a partir de John Finnis

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Bertoncello, Leandro da Silva;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/3399641740923895;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Culleton, Alfredo Santiago;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/1692292875405642;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Humanidades;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Consciência religiosa e secularismo a partir de John Finnis;
metadataTrad.dc.description.resumo Esta dissertação de mestrado tem como objetivo investigar a teoria da lei natural elaborada por John Finnis para, a partir dela, demonstrar como a religião se constitui num bem fundamental para o florescimento humano, sendo merecedora de expressão e aceitação na esfera pública de uma sociedade secularista. Trata-se de reconhecer o estatuto público dos argumentos de base religiosa, que os torna capazes de ser aceitos como racionais e não apenas posturas de fé religiosa, sendo defendidos em termos compatíveis com o meio secularista atual, onde a existência de Deus é caracteristicamente negada ou tida como irrelevante para os assuntos práticos do âmbito social. Utiliza-se como método a revisão bibliográfica, mediante a reunião do material escrito por Finnis, além de outras obras relacionadas ao tema aqui tratado, com a abordagem analítica e interpretação das ideias obtidas nessas diversas fontes. Estuda-se a teoria de Finnis sobre a lei natural, com destaque para a nova interpretação do primeiro princípio da racionalidade prática feita por Germain Grisez e as discussões consequentes. Investiga-se a conformação do secularismo enquanto mentalidade vigente que nega ou despreza causas e finalidades transcendentes para as pretensões humanas. Analisamse as reflexões de Finnis sobre a religião como harmonia racional entre a fé e as ações do indivíduo religioso. Conclui-se, com os resultados obtidos, que não há fundamento em pretender excluir da esfera pública as reivindicações baseadas na consciência religiosa, mesmo em se tratando de um ambiente secularista, pois são reivindicações elaboradas segundo critérios de razoabilidade prática e que dizem respeito à autenticidade dos seres humanos, não sendo ainda fundamentado pretender que as pessoas religiosas restrinjam à sua intimidade o bem humano fundamental da religião e cedam às posições secularistas contrariamente à sua consciência.;
metadataTrad.dc.description.abstract This dissertation aims to investigate the theory of natural law elaborated by John Finnis to demonstrate how religion constitutes a basic good for human flourishing, deserving expression and acceptance in the public sphere of a secularist society. It is a matter of recognizing the public status of religiously based arguments that make them capable of being accepted as rational and not just religious faith positions, being defended in terms compatible with the current secularist milieu, where the existence of God is characteristically denied or regarded as irrelevant to the practical affairs of the social sphere. Bibliographic review is used as a method, by means of collecting the material written by Finnis, as well as other works related to the theme here, with the analytical approach and interpretation of the ideas obtained in these diverse sources. Finnis's theory on natural law is studied, with emphasis on the new interpretation of the first principle of practical reasonableness made by Germain Grisez and the ensuing discussions. We investigate the conformation of secularism as a prevailing mentality that denies or neglects causes and transcendent ends for human pretensions. Finnis's reflections on religion as a rational harmony between faith and the actions of the religious individual are analyzed. It is concluded, with the results obtained, that there is no basis in claiming to exclude from the public sphere the claims based on the religious conscience, even in the case of a secularist environment, since they are claims elaborated according to criteria of practical reasonableness and that they concern the authenticity of human beings, and it is not yet justified to claim that religious persons restrict to their intimacy the fundamental human good of religion and yield to secularist positions contrary to their conscience.;
metadataTrad.dc.subject John Finnis; Lei natural; Secularismo; Consciência religiosa; John Finnis; Natural law; Secularism; Religious conscience;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Humanas::Filosofia;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2019-04-03;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Nenhuma;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/8716;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Filosofia;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics